lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

segunda-feira, 7 de julho de 2008

A BELEZA DA VIDA E A FRAGILIDADE DA INOCÊNCIA



Não consigo imaginar o mundo sem flores.Fico extasiado diante da sua beleza...
Gosto de sentir que as crianças são as flores, no jardim da vida. A intensidade da beleza, aliada á fragilidade do ser. São fruto da genética e do meio envolvente. Aprendem mais pelo que vêem do que pelo que ouvem.
Têm o direito a ser amadas e protegidas.
Era um Domingo de manhã. Como em quase todas as manhãs de Domingo, eu estava sentado naquela esplanada a ler um livro, enquanto bebia um café.Vejo chegar uma jovem senhora, empurrando um carrinho de bébé, tendo a seu lado uma criança de tenra idade e traquina como todas as crianças, naquela fase da vida. Assentaram arraiais numa mesa, mesmo atrás de mim.
Continuei a minha leitura, indiferente ao choro do bébé, ás tropelias da criança e á dificuldade da mãe em controlar a situação.
De repente as minhas narinas identificaram um odor, por demais conhecido, e os meus neurónios fizeram disparar as campainhas de alarme.Cheirava a fumo...de CIGARRO.
Aquela mãe soltava enormes baforadas tavagistas ...enquanto, com uma mão, sossega o bébé e com a outra tenta segurar o traquina, que insistia em pirar-se, para ir brincar com a água do repuxo, ali ao lado...
Lembrei-me de Augusto Gil.
Que os adultos sejam tão estúpidos
Enfim.
Mas as crianças, Senhor?
Porque lhes dais tanta dor?
Porque são obrigadas a sofrer,
Uma ESTUPIDEZ assim?
Ditosa Pátria, que tais filhos tendes...

15 comentários:

f@ disse...

Mem estou a imaginar o mundo sem flores... ficaria escuro e triste? vazio e feio... e irrespiravel ... tão pouco teriamos inspiração e colorido para alegrias ...
O fumo faz mal às flores - criança é uma flor um botão da + bela flor...
tb já fumei mas agora não...
bj das nuvens

prafrente disse...

f@
Obrigado pela visita.
A beleza desperta-nos emoções essenciais para um equilibrio existencial.

Quanto ao tabaco, eu até consigo respeitar o vício dos que fumam.Aquilo que eu não posso respeitar é a irresponsabilidade de uma mãe que envolve os seus filhos no fumo dos seus cigarros.

bjs...da terra.

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Também fico imensamente feliz por um filho de Portugal me visitar sempre... =)
Mais feliz ainda por encontrar aqui aprendizagem sem par!
Mal sabe essa senhora que (talvez a mãe do bebê), que estava matando naquele exato momento um pedaço do tempo de ficar com esses "seres" que apesar de toda traquinagem peculiar, são de inocência, como você mesmo disse, o jardim da vida, as flores..

Maravilhoso, poeta!!

Bjo.

Dry Neres.

mdsol disse...

Vejamos: Sempre estava na rua! Era melhor que não fumasse, mas...sempre estava na rua!
Quanto às flores estamos de acordo.
:)

Císa disse...

Olá!

Passei aqui para parabenizar pelo seu texto (concordo...concordo plenamente)...
E gostaria de lhe agradecer pelo seu post em meu blog!

Eu também aprendi que os homens choram (são poucos deles...Mas choram!)

E em relação a dançar...Eu sei que vc sabe dançar!
Para dançar basta apenas ser sensivel e leve na alma...e vc é isso!


Um beijo grande!

Fique com Deus!

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Estou buscando essa tal felicidade!! ^^
Obrigada, poeta!!
Bjo.

Dry Neres.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Flores são essenciais. Parei de fumar há 3 anos. Fumava 120 cigarros por dia, ou seja, 6 maços de Marlboro. Como não era químico-dependente, um dia falei paar mim mesma: não sinto prazer algum nisso e joguei o cigarro. Nunca mais peguei e não tenho a mínima vontade. Já pensou se eu fumasse agora, com câncer, já teria morrido. Já que não posso ficar sem fazer nada, senão olho no espelho e me vejo magricela, 39 quilos, por causa da quimio, resolvi fazer algo aqui. Enquanto coleto material para "Bonequinha de luxo", postei sobre o filme "Sombras de Goya" que em Portugal ficou como no original "Os Fantasmas de Goya". Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

PS: Traduzi um soneto de Shakespeare e pus no post

prafrente disse...

Cisa
Você me "obrigou"a consultar o dicionário.Eu não conhecia a palavra PARABENIZAR. Agora já sei...estamos sempre a aprender.
bjs

mdsol
Fumar na rua eu até consigo aceitar.Mas soltar fumaça enquanto se debruça sobre o carrinho do bébé é IMPERDOÁVEL.

Renata

120 cigarros por dia?My God,
você deve ter nos seus pulmões, alcatrão suficiente para pavimentar a rodovia da Amazónia.
Mas admiro a sua coragem.Recebeu o meu email?

Bjs

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola , obrigada pela visita. Gosto muito do seu blog porque fala de vivencias autenticas e eu tenho muito curiosidade na "vida dos outros" :-)

f@ disse...

lol...
engraçado que habitualmente ninguém entende o que eu digo...
fico contente por entenderes...
tb gosto bastante mesmo dos teus textos...
beijinhos das nuvens

Entre o Fascínio e o Pensamento disse...

Muita inquietação, amigo!!
Muitas...
Isso é absolutamente normal..
Gosto de demorar aqui.. bjo.

Dry Neres

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo, ontem eu estava num estado que à noite tive que ir ao médico, pois nada me parava no estômago. Anteontem estava com 39 quilos, ontem à noite, com 37. Gastei minhas últimas economias na contratação de uma enfermeira que parece um gigante, mas que me transporta no colo e cuidará da minha alimentação parental. A F@ pediu para eu fazer a resenha de "Fale com Ela".
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

vero disse...

olá boa noite,
venho agradecer e retribuir a visita ao meu blog, muito obrigada!!!

Um Leiriense, eu estou cá "emprestada" há quinze anos lol :)

Espero voltar a vê-lo pelo meu cantinho mais vezes :)

beijinhos

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo:
Fiz dois posts com obras do Carlo Rochas como desenhista e pintor. Vá prestigiá-lo:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo da Rê

luiscoelho disse...

Tambem fui levado na onda do tabaco cerca de trinta anos. Quando me diziam - pára - eu tinha sempre desculpas para mim. Cada dia a força era menos e a tosse pressistia querendo arrancar-me as entranhas.
Em Abril de 2002, numa tarde primaveril, os meus pensamentos chocaram-se e nesse momento decidi:
A partir deste momento não vou fumar mais, não o vou comprar e não vou pedir um único cigarro.
Passou um dia,uma semana, um mês.
Disse aos meus colegas de trabalho:
- Já não fumo mais.
Passaram-se todos estes anos e só tenho que estar feliz com a decisão certa que tomei naquele dia.
Quantos dias os meus filhos me pediram:
- Pai não fumes mais, olha que ficas com um buraco na garganta.......
Hoje sinto uma onda de revolta por não os ter ouvido e tanto os ter sacrificado, embora procurasse não fumar em casa nem no carro.
A essa Jovem senhora só lhe posso pedir que poupe os seus filhos poupando-se a si.STOP CIGARRET.