lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

domingo, 13 de setembro de 2009

FIM DE TARDE


Os ramos das árvores ribeirinhas refletem as suas cores outonais na quietude das águas do rio da minha cidade. Parecem beijar-se com paixão, num final de tarde ainda quente, como prelúdio da longa noite que se aproxima...

Bom domingo

10 comentários:

Luana disse...

Que imagem perfeita...
Bom domingo pra ti também!!
Bjinhos do Brasil

Zica Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
WOLKENGEDANKEN disse...

Bonita cidade a tua, tem um aspecto muito romano com esta ponte e as cores das casas ....

f@ disse...

Olá José,

Pois é…
Lá esão as folhas amarelecidas nos braços da árvore …
a mergulhar no rio…
o “beijo” molhado !maginário do verde no azul

Não há leito de rio nem mar gens para o idílio…

Texto e !magem magníficos…

!menso beijinho

uminuto disse...

Magnífico reflexo em momentos de crepúsculo

Miosótis disse...

Esta foto está deveras expressiva!
Adorei-a e divaguei sobre ela quando ma enviaste. E reparo agora que também te é sugestiva, pelo belo texto com que a ilustras.
Coincidências?!
Talvez.....
Parabéns!
Beijo em ti.

Miosótis disse...

Olá de novo!
Vi agora o teu comentário no meu "blog vermelho" e, sinceramente, nem sou poetisa nem estou em greve literária...apenas junto letrinhas que transcrevem emoções. As que sinto!
E sabes que elas, as emoções, quando transbordam, têm de ser canalizadas para algum lado, caso contrário corro o risco de entupir todo o sistema. Assim sendo, ora deixo jorrar para o blog ora para...... ui, ui!!!
Desculpa, mas tu provocas-me!
Adoras espicaçar-me o miolo...
E eu adoro responder-te!
Pois então menino Josézito, actualize-se nas leituras porquanto o seu comentário está deveras desactualizado.
Beijos...

Miosótis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fa menor disse...

Sim, é lindo!
Não me é estranho esse local...

Bjs

direitinho disse...

Oi
Por vezes acordas para o lado certo e constróis belas coisas que me dão grande alegria por ver-te mais feliz.
É tempo de arrumar a casa e aproveitar a viagem. É tempo de começar a gostar de viver aceitando os pontos altos e as pontes que tivemos de atravessar.
Digam o que disserem mas o nosso rio há-de correr sempre para Norte.