lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

domingo, 27 de setembro de 2009

AMOR Á BEIRA-MAR

Serena manhã de um domingo de Outono e um calor que se sentia sufocante, enquanto caminhava sobre a areia branca da praia.
De máquina fotográfica na mão e olhar atento, procurava novas sensações e emoções que, de certo modo, me ajudassem a ultrapassar aquelas que me inquietavam o coração.
Ali ao lado, por entre as rochas que delimitam a foz do Lis, irrompe com graciosidade uma pequena e frágil flor. Indiferentes ás circunstâncias envolventes, a pequena abelha e a frágil flor amavam-se com paixão. Nem mesmo a objectiva da máquina conseguiu interromper o seu acto de amor...também não era essa a intenção do fotógrafo.

Talvez, noutro ponto do rio, ou mais ao longe, no macio quente da areia das dunas, outros amores tivessem lugar...ou mesmo sobre a linha branca da espuma deixada pelas ondas sobre a praia. Ali mesmo, onde a terra acaba e o mar começa, o amor pode acontecer...
Apenas a imaginação pode ser o seu limite...
E eu continuo a acreditar que o amor é o único sentimento que dá sentido á vida.
Boa semana

10 comentários:

direitinho disse...

Bem imaginado e tambem está bem descrito.
Imaginando.....parar lá das dunas.... ou mesmo na areia molhada....Não fora a fotografia e dir-te-ia que andas a sonhar alto.
O sonho comanda a vida e certamente transformamos em sonho coisas inatingíveis.
Quero apenas dizer-te que nesses sonhos muitas vezes nos esquecemos daquilo que está debaixo do nosso nariz e passamos ao lado, perdendo para sempre oportunidades que são únicas.
Como não somos perfeitos não deveremos exigir dos outros perfeição plena.
A vida também tem sentido quando trabalhamos para conseguir acertar agulhas e limar arestas.
Um abraço e boa semana

uminuto disse...

Lindo este amor à beira mar. Lindas estas imagens que fazem sonhar
um beijo

mari (a)penas... disse...

Olá! Obrigada pelo seu comentário!

É bem verdade, viverão sempre. A minha avó ainda andava uns bocadinhos, na última semana já muito pouco, mas nunca aceitou uma cadeira de rodas. Sempre foi uma pessoa muito lutadora, até nos momentos de esquecimento, mas há aquela altura em que Deus chama e não há nada a fazer. Há anos que nos andavamos a preparar, em vão claro, porque nunca estamos preparados na realidade. Muita força! E disponha. Algum desabafo ou o que seja, estou por aqui.


E grande pensamento o do "Amor à beira-mar".

As fotos certas nos momentos ideais, perfeitamente conjugadas com as legendas que dão vontade de ter estado a apreciar esses momentos mágicos!

Beijinhos

Zica Cabral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Bom dia, achei as fotos lindas, principalmente a da abelha (que é um animal lindo demais). Parabéns élas fotos e por poder desfrutar de um lugar tão lindo. A natureza é bela demais. Temos que valorizar isso.

Com relação ao que comentou na minha postagem sobre o governo de portugal, fiquei curioso em saber como é esse governo em matéria de corrupção, desigualdade social do país, essas coisas, pra poder comparar ao Brasil e saber se é só aqui que temos tudo isso em abundância.

abs

mari (a)penas... disse...

Obrigada!

O curso é Direito. Já foi na Clássica e agora mais recentemente mudei para a Nova, em Lisboa (cidade que adoro).

Quanto às praxes não sou a melhor pessoa para falar. No meu curso não temos grandes tradições a esse nível, e também não nos permitimos a muitas noites de cair para o lado.

As minhas praxes resumiram-se a um dia, no outro houve logo aulas.

Mas acho bem que existam! É nestes momentos que os novos alunos se conhecem e, na maioria dos casos são brincadeiras inofensivas, e como estão todos no mesmo barco não há um que faz "figuras tristes". Começam a conhecer-se e a criar os primeiros laços de empatia. Mas acima de tudo percebem que ao longo do curso vão ter que estar unidos como naquele dia (naqueles dias) ou mais ainda.

Aprendi essencialmente (e constatei isso mais tarde) que a batalha que me esperava era dura e que o desânimo iria ser o meu pior inimigo.
Mas não estou arrependida, acho até que é um curso apaixonante!

Beijinhos! :)

f@ disse...

Olá José,

... daí o doce mel...
que apesar de doce da maresia ter aquele mistério do pólen areado deixa sempre à palavra amor um sentido impar...
um olhar original…
...memórias de espuma…

!menso beijinho

disse...

e aqui o coração tem sons... água e areias... a flor e o mel e sempre o amor

beijo

Daniel disse...

Muito obrigado por me explicar o que se passa com Portugal. Gostei muito do seu comentário. E aguardo uma nova postagem pra vir aqui comentar. Bom final de semana. Daniel

uminuto disse...

Em busca de novas imagens, deixo um desejo de boa semana