lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

sábado, 10 de julho de 2010

O CHAPÉU

:
Finalmente o repouso dos guerreiros...
:
:
Ontem foi tempo de celebrar. Tivemos o nosso jantar de turma. Não resisti em fotografar o interior do chapéu pertencente ao traje académico da uma colega e em presença do seu conteúdo lembrei-me de citar o poeta António Aleixo:
:
Hoje os chapéus das senhoras,
Cheios de aselhas e véus,
São capachos, são vassouras,
São tudo, menos chapéus
:
António Aleixo (1899-1949)


Boas férias

6 comentários:

Paula Barros disse...

Primeiro gostaria de dizer que gosto de fotos assim, inusitadas, e que ainda fez lembrar um poema.

Se não falasse que era um chapéu eu não saberia, e serviu pelo jeito para outras finalidades tal qual no poema. rsrs

abraço, e boas férias.

Luís Coelho disse...

Bom dia Amigo
Aquela foto não dá para entender que é um chapéu.
Podias per colocado duas fotos. Assim ver-se-ia o exterior e o interior.
O poema de António Aleixo é lindíssimo e ilustra a tralha que elas guardam na cabeça.
Parabéns pelo final do teu curso. Desejo que te sintas bem com este sonho realizado

f@ disse...

Então…Boas férias…
E para fim de ano importa mesmo enterrar o chapéu até ás orelhas para tapar o sol… e inventar um pouco a sabedoria popular… “ quem tem cabeça e cabelo não precisa de chapéu…”
e, fechar os olhos á escola da vida… aproveitar o sol e o vento… escutar o som das ondas…

não sei porquê mas a minha embirração com o teu poeta A A é de+…
boas fé ria s
beijinhos

uminuto disse...

boas férias e que tudo tenha corrido bem
um beijo

Alis disse...

Olá José,
Tb penso arranjar uma bolsinha destas de um tamanho maior porque sou cabeçuda…( um Chapéu), mas com fecho ou com fitas para atar depois de lá guardar o que tenho na cabeça…
as nuvens… os sonhos…
as ideias…
e ainda o fumo dos dias de telha…
depois penduro ao ombro
e chapéu!!!!

B o a s f é r i a s Sr. © u ® i o s o
Beijinhos

prafrente disse...

Para a Alis

Creio que tu não precisas de usar chapéu...olhando a foto vejo que tens a cabeça bem guardada por um bando de pardais-dos-telhados...quase pareces o bondoso Francisco de Assis...
As ideias, as nuvens, os sonhos, guarda-os no coração...e as telhas, quem as não tem?,vende-as no merdado negro, sem fatura...mas não digas ao Teixeira dos Santos que fui eu quem te aconselhou esse negócio...

Beijinho