lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

segunda-feira, 23 de junho de 2008

EMOÇÕES PETROLÍFERAS

Agricultura de subsistência. Algures, no concelho de Leiria.

Lembro-me bem. Já lá vão 40 anos...



Se o preço dos combustíveis não parar de aumentar e prevendo nova greve dos camionistas, o melhor é ir pensando em voltar aos tempos antigos, como se observa na foto.

Aqui, a força motriz é alimentada, básicamente, pela palha, do milho ou do centeio que, depois de digerida, volta a ser depositada no campo, sob a forma de estrume.



Em 1859, o norte americano Edwin Laurentine Drake, perfurou o primeiro poço, com 21 metros, para a procura de petróleo. Nasceu assim a moderna indústria petrolífera. Com uma produção inicial de 2000 barris, alcançou, 15 anos depois, 10 milhões.

Passados 149 anos, no inicio do século XXI, sabemos que as reservas de crude estão na recta final. Dentro de 30 ou 40 anos não haverá petróleo. E não haverá greves ou bloqueios que consigam resolver o problema.

Como alternativa o Homo sapiens sapiens inventou o bio combustível. E aí surgiu o espectro da crise alimentar. Ou seja, é pior a emenda que o soneto. Talvez, no futuro, sejamos classificados como Homo stupidu, stupidu...



Um empresário português quer pôr a circular em 2009 um automóvel eléctrico, de dois lugares. O veículo funciona com baterias recicláveis e terá autonomia para 100 quilómetros.Precisará de estar ligado a uma ficha eléctrica, durante cinco horas, para atingir a carga máxima. O preço poderá chegar aos 10 mil euros.



Há, sem dúvida, um longo caminho a percorrer, mas alguém tem de dar o primeiro passo.



Entretanto pensemos em comprar uma bicicleta...

7 comentários:

f@ disse...

Se o homem ainda não esgotou o solo.... se a terra ainda se deixa furar para nos dar água... se o estrume ainda não se decompôs pela acção do se humano ... então quem sabe uma lição de vida e a volta ás origens não será uma forma de nos levar a repensar a reconsiderar sobre tudo... o que na verdade deviamos valorizar...
bj das nuvens

prafrente disse...

f@

uma lição de vida e a volta ás origens...
Concordo com a sua sensibilidade.

Acontece que nada volta a ser como dantes.O estrume desapareceu e por mais que perfurem o solo não há água.
A nossa esperança é que os americanos encontrem outro planeta habitável para darem também cabo dele.
Mantenhamos a esperança...

bj agrícola

mdsol disse...

Julgo que está em marcha acelarada uma mudança de... paradigma! Este como é bom de ver é insustentável e já deixou demasiadas (más) marcas. Contudo, quando olhamos mais por longe, temos de acreditar no SER HUMANO e no no seu processo ascencional. Só que, nas malhas dos entretantos...
:))

inespimentel disse...

Pode ser que esta dependência do petróleo se torne insustentável de uma vez por todas... só assim se encontrarão alternativas menos poluentes e menos lucrativas para certos interesses que se estão completamente borrifando para o ambiente e para o futuro. Eu sou pela mudança e não pela baixa de preços... quanto mais caro melhor... vai doer mas há-de mudar... utopia?? Talvezm mas eu gosto de acreditar!

prafrente disse...

mdsol

"...mudança de ...paradigma."
Sabe o que dizem na aldeia onde nasci? Mudamos de moleiro, mas não mudamos de....
Preciso de completar o provérbio?
Gostava de acreditar nesse processo ascensional do SER HUMANO.Cada vez mais sinto que estamos a entrar num processo de SALVE_SE QUEM PUDER.Ou, como dizem que disse Luis XV, "après moi le déluge".

inespimentel
Concordo consigo...mas não sou assim tão radical.
Tem de haver um período de transição. Devagar se vai ao longe...mas alguém tem de ter a coragem de arriscar.Entretanto há pequenas coisas que todos podemos fazer no sentido de poupar combustível...eu já comprei a bicicleta...é ecológica e vai ajudar-me a reduzir o IMC.

Os_meus_rabiscos disse...

Já tenho bicicleta... Mas moro a 25 km do emprego...
Recordo também essa agricultura de subsistência, algures no distrito de Leiria, mas em pleno Parque Natural das Serras d'Aire e Candeeiros onde a única água era a da chuva...

prafrente disse...

os_meus_rabiscos

Agora percebo a que se deve a sua elegância:uso intensivo da bicicleta e muitos morangos...com ou sem açucar.
Quanto aos 25 km que a separam do emprego, não desanime.Nas descidas vai por inércia....