lua cheia

lua cheia
Adormecendo nos braços do Oceano

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

AS PENAS...DO CORAÇÃO

Caminhei pela praia até ao local onde nos beijámos ao pôr-do-sol...mas não tu não estavas...
Percorri a areia macia das dunas, por entre pinheiros retorcidos e camarinhas maduras...e não te encontrei...

Queria ler-te em voz alta as palavras que alguém escreveu nesta parede abandonada no meio do bosque.

...fiquei com pena de te não ter


Fotos pessoais

6 comentários:

Paula Barros disse...

Que lindinho...mesmo que seja triste por não ter a pessoa por perto para demonstrar, para expressar tão lindo sentimento.

Achei muito lindo, muito fofo, fotos maravilhosas, com bela criatividade.

abraço

Paula Barros disse...

Passando para olhar e reler...o conjunto, a ideia, o sentimento, diria que me deixou impressionada, encantada. E voltei. rsrs

abraço, bom domingo!

Alis disse...

Ola Jose,

Os passos do beijo nos raios espelhados das ondas
e o brilho no areal?

Escuta o som das ondas e o silencio da areia…
quem sabe deixas marca dos teus passos na praia…
devemos sempre continuar o caminho mesmo quando o areal e longo e as dunas montanhosas…
b e l o

beijinhos

Hellag disse...

:) :( !!! :)

Daniel disse...

Já fiz isso.
Já procurei por alguém esperando que esse alguem aparecesse como num toque de mágica. Mas a mágica não aconteceu.

Daniel

Luís Coelho disse...

Bom dia
Hoje encontrei-te por aqui e sei que continuas a procurar-te. Na praia pelas dunas entre pinheiros retorcidos ou caminhando por vales e montes aqui da nossa aldeia.
A busca tem coisas que fazem a vida de cada dia.
Umas vezes encontramos o amor ou o que decididamente procuramos.
Outras vezes fugimos tentando esquecer o que procurávamos.
Quando partimos nesta procura devemos aceitar o que vem à rede e depois moldar de modo a que a simbiose seja perfeita.
Nunca teremos a perfeição só para nós em plenitude.~
Umas vezes tem cores positivas e muitas negativas e pode fazer mau contacto mas um homem aprende muitas vezes a amar na adversidade.
Desculpa. Botei discurso sem ser pedido.
Acredita que saboreei o teu pensamento.